27abr
2015
0

Dia do parto, como é na maternidade?

São aproximadamente 40 semanas de espera, nos preocupamos com tanta coisa ao longo da gestação, exames pra cá, quartinho do bebê pra lá, chá de bebê, enxoval, alimentação da mamãe, ultrassons e quando chega a hora de ir para a maternidade dá aquele friozinho na barriga e mal sabemos como agir. Amigos e familiares compartilham a ansiedade e todos juntos esperam por este momento tão especial, na expectativa de ouvir uma única palavra : “Nasceu!“.

Eu não tinha idéia de como seria na maternidade, até a hora de ir para lá. Foi tudo muito novo, espontâneo e especial, será um prazer contar a vocês como foi este dia.

A cesária estava marcada para uma Sexta-feira às vinte horas, neste dia tive um almoço em família ao meio-dia e esta foi minha última refeição até a hora do parto. Não é nada fácil ficar oito horas sem comer nada, não podia nem beber água. Por essa eu não esperava, ninguém tinha me contado que tinha que ficar em jejum até de água, o dia estava muito quente e tive que me contentar em molhar a boca com água gelada e jogar fora.

Ao contrário do que eu imaginava, eu fiquei completamente tranquila e calma no dia do parto. Enquanto meus familiares e amigos estavam com os nervos a flor da pele e ansiosos para o grande momento.

Duas horas antes do horário agendado, tomei um longo banho, me maquiei e coloquei uma roupa confortável e bonita, afinal tinha que sair bonita nas fotos e filmagens.

 Na maternidade

Ao chegar na maternidade, fiz o cadastro de internação e foi colocada uma pulseira de plástico com os meus dados em meu pulso. Fui para o quarto onde ficaria nos próximos dois dias, acomodei minha mala e a mala do bebê.

A enfermeira pediu para que eu separasse três kits para o bebê, contendo:

  • Body
  • Mijão
  • Meia
  • Luva
  • Macacão
  • Manta
  • Fraldas descartáveis
  • Pomada anti-assadura

Troquei minha roupa por um avental de tecido próprio para internação, prendi meus cabelos e coloquei uma touca, estes foram fornecidos pela maternidade. Minha pressão e batimento cardíaco eram medidos constantemente e estavam normais dentro das considerações médicas, pressão 14,2 e batimento cardíaco estável (minha pressão sempre foi 12,8 , mas para a ocasião 14,2 era considerada normal). Foi verificado também o batimento cardíaco do bebê e foi realizado um último ultrassom.

Uma enfermeira preencheu um questionário padrão da maternidade com dados sobre possíveis alergias de remédios, se tinha diabetes, etc… Pediu para que eu tirasse qualquer acessório de metal como brincos, correntes e pulseiras.

Com a ajuda das enfermeiras, me deitei na maca e fui direcionada para a sala de parto. Na sala de parto, deitei-me na cama de cirurgia e novamente minha pressão e batimento cardíaco foram checados.

 A Cesária

Não demorou muito para o anestesista chegar e aplicar a anestesia rack, senti uma fisgada dolorida nas costas e logo senti adormecer da barriga aos pés.

Meu obstetra já estava lá e num clima descontraído, conversando sobre assuntos diversos, iniciou o trabalho de parto. Eu não enxergava nada além de um lençol azul em minha frente e meu marido ao meu lado.

Senti uma pressão na ponta superior da minha barriga, eram os médicos puxando o bebê para fora, logo ouvi o chorinho e a palavra tão esperada foi dita: “Nasceu!“

A enfermeira passou ao meu lado e deu uma paradinha com meu bebê em seu colo, em uma distância de mais ou menos 2 metros de mim, pedi para que viesse mais perto para que eu pudesse vê-lo melhor e ela me disse que era preciso dar alguns cuidados ao bebê antes de trazê-lo a mim.

Primeiro encontro com o bebê

Em poucos minutos a enfermeira retornou com o meu bebê em seu colo e finalmente pude encontrar com quem mais esperei na minha vida, era a criatura mais linda e perfeita que eu já tinha visto, meu coração se encheu de amor e gratidão por ter a oportunidade de vivenciar aquele momento tão especial.

Foram cerca de 3 minutos de encontro e o bebê teve que ir para uma outra sala receber os cuidados de um recém-nascido, seu papai o acompanhou.

Enquanto eram finalizados meus pontos da cesária, as visitas foram chagando para conhecer o mais novo membro da família. Foi permitido a entrada de duas pessoas por vez para conhecer o bebê e através de uma parede de vidro, as visitas puderam enxergar o papai e o bebê ali na sala do berçário.

 Reação da anestesia rack

Depois que os médicos finalizaram o meu curativo, fui levada para o quarto pelas enfermeiras através de uma maca. Meu corpo permanecia anestesiado da barriga aos pés e sentia muita fome e sede. Pude beber um pouco de água, mas tive que aguardar o efeito da anestesia rack passar para poder comer alguma coisa.

Enfim o efeito da anestesia rack foi passando e foi me dando uma coceira por todo corpo, reação da anestesia. Mas eu não podia me mexer para coçar pois estava recebendo soro e remédios na veia além de estar com sonda no canal da urina, a sorte que pude ficar com um acompanhante no quarto que me ajudou aliviar aquela coceira desconfortável.

Meus movimentos voltando ao normal, pude beber mais água, comer bolachas de água e sal e chá.

Colostro

Logo a enfermeira entrou no quarto para verificar se o colostro do peito já estava saindo. Colostro é o primeiro leite produzido pela mãe pós parto, é muito importante nos primeiros dias de vida do bebê, pois além de alimentar também ajuda o tubo digestivo do recém-nascido. Para a minha alegria, estava saindo e muito.

Primeira mamada

E finalmente trouxeram meu bebê para a primeira mamada, foi um tanto dolorida e ele pegou a mamada de primeira, lhes digo que é uma das melhores sensações que uma mãe pode ter. A enfermeira me explicou que o ato de amamentar ajudava o útero voltar ao tamanho normal.

Banho pós-parto

No dia seguinte aguardei a enfermeira chegar para que eu pudesse tomar meu primeiro banho pós-parto e ainda bem que a esperei, pois minha pressão caiu e por pouco não desmaio, precisei me sentar na cadeira de banho para que eu voltar ao normal, a enfermeira me ajudou e terminei meu banho bem.

 Barriga pós-parto

Minha barriga ainda estava inchada e fui aconselhada a não falar muito para não engolir ar e a caminhar pelos corredores da maternidade para que os gases fossem eliminados, estes atos ajudaram a diminuir minha barriga. Não usei a cinta nos primeiros dias, passei a usar após uma semana.

Menstruação

Os primeiros dias são verdadeiramente um caos em relação a menstruação, foram meses sem sangrar e logo após o parto a menstruação desce sem dó. Na maternidade me forneceram uns fraldões antes do parto. A princípio, imaginei que era exagero e que nem usaria, até ver a quantidade. Tanto usei como pedi que comprassem aqueles absorventes noturnos grandes e foi o que amenizou. Mesmo trocando com frequência, teve noite que vazou, mas isso faz parte.

Dia de alta

Que felicidade é o dia de alta, voltar para a casa com o bebê nos braços. O prazer de colocar a roupinha separada para a “saída de maternidade“ é única para os pais. Tudo novinho para ser estreado pelo tão esperado bebê. Agora é hora dos pais entrarem em ação, os cuidados lidos e estudados durante a gravidez é colocado em prática aos poucos sem mais a ajuda integral das enfermeiras.

No Comments

Reply